18 citações de Warren Buffett sobre investimento, saúde e sucesso

Conhecido como o “Oráculo de Omaha”, Warren Buffett é um dos investidores mais bem-sucedidos de sempre.

Warren Buffett é o presidente do conselho e diretor executivo da Berkshire Hathaway, uma companhia que gere um conjunto de empresas subsidiárias. Filho de um congressista, comprou a sua primeira ação com apenas 11 anos, e começou a preencher o IRS com 13. Apesar de já ter doado mais de 41 mil milhões de dólares a instituições de caridade, Buffett é, em 2021, o 6º homem mais rico do Mundo, com uma fortuna avaliada em 108,8 mil milhões de dólares. Com 90 anos de idade e mais de 70 de investidor, foi imensa a sabedoria que nos foi transmitida pelo próprio ao longo dos tempos. Venha conhecer o que ele tem para nos dizer.


No curto prazo, o mercado é uma máquina eleitoral. No longo prazo, é uma balança.

Também atribuída a Ben Graham, mentor nos seus primeiros anos como investidor, estas palavras foram ditas por Warren Buffett em Sun Valley, decorria o ano de 1999 e a loucura das “dot com”. Basicamente, diz-nos que o mercado pode ignorar o sucesso do negócio durante algum tempo, dando lugar à especulação, mas a longo prazo acabará por confirmá-lo. Warren disse-o para se defender do facto de não ter apostado nas tecnológicas quando toda a gente o fazia, porque considerava que estavam sobrevalorizadas. O crash de 2000, que perdurou por 3 anos, acabou por confirmar as suas suspeitas.


Personaliza os elogios, categoriza as críticas.

Para Buffett, deve-se elogiar o bom trabalho e criticar os erros, mas os cuidados a criticar devem ser redobrados. Devemos sempre encorajar as pessoas, não deixá-las de rastos. Desta forma, elas não irão gostar apenas de si; irão adorá-lo.


A primeira regra diz que ninguém vai para casa no final da primeira corrida e a segunda que não se tem de recuperar o dinheiro da mesma forma que se perdeu.

Da mesma forma que não devemos deixar de investir após os primeiros ganhos, só para proteger o lucro, também não devemos tentar recuperar o que se perdeu, sob o risco de perdermos ainda mais. Se for para encarar o investimento como um jogo, que seja um jogo de longo prazo.


Aprendi que compensa andar com pessoas melhores do que nós, porque se evolui um bocadinho. Quando se anda com pessoas que se portam pior, rapidamente se desliza para o fundo. É assim que funciona.

Somos o resultado da média das cinco pessoas com quem mais interagimos diariamente. Quanto melhores influências forem, melhores seremos.


Para a sociedade, para mim próprio, para a Susie (esposa) ou para todos, sempre que tenho dinheiro ponho-o a render assim que entro em casa com ele.

O dinheiro parado perde valor devido à inflação. Warren nunca abdicou de reinvestir todos os seus lucros e isso fez dele uma das pessoas mais ricas do Mundo.


Sê temeroso quando os outros forem gananciosos e ganancioso quando os outros forem temerosos.

Quando toda a gente fala de um determinado investimento e até a vizinha do quarto andar, que nunca investiu na vida, comprou ações, é altura de sair. Foi assim em todas as bolhas. A razão é que a maior procura do que oferta inflaciona o preço das ações, fazendo com que estas transacionem a um valor acima do seu valor real. Por outro lado, quando as pessoas estão com medo de investir, é precisamente quando o mercado está em “saldos”, com preços abaixo do valor real, pois ninguém quer comprar. São nestas situações que se dão os melhores negócios e as melhores compras de ações. A longo prazo, o mercado irá subir.


Não entraremos em negócios em que a tecnologia esteja para além da minha compreensão e seja crucial para a decisão de investir. Sei tanto de semicondutores ou circuitos integrados como sei dos hábitos de acasalamento dos “chrzaszcz”.

Não investir no que não se compreende. Se o fizer, corre o risco de não perceber quando deve reforçar a sua posição, ou quando deve sair. Não sabe, também, qual é o valor real daquilo que está a comprar.


Não participaremos em operações de investimento, mesmo que ofereçam probabilidades de lucro fabulosas, em que haja o risco de se desenvolverem grandes problemas humanos.

Warren Buffett sobrepõe a ética à oportunidade, mesmo quando o histórico da empresa apresenta lucros muito acima da média do mercado.


Não vou abandonar uma abordagem antiga cuja lógica entendo (embora ache difícil de aplicar), mesmo que tal signifique abdicar de grandes lucros aparentemente fáceis, para adotar uma abordagem que não entendo totalmente, nunca pratiquei com sucesso e que, possivelmente, poderia levar a uma substancial e permanente perda de capital.

Sem conhecer bem o investimento, corremos o risco de ter uma perda significativa de capital. Não podemos justificar a perda com o simples facto de termos tido azar, pois não conhecemos os riscos associados. Buffett tornou-se um dos maiores investidores de sempre sem ter entrado em coisas que não conhecia. Se temos este exemplo vindo do topo, não temos qualquer tipo de justificação para fazer o contrário.


É muito melhor comprar uma empresa maravilhosa por um preço justo do que uma empresa justa por um preço maravilhoso. (…) Os bons jockeys fazem boas corridas com bons cavalos mas não com cavalos esgotados.

As melhores empresas dão maiores garantias a longo prazo. Mesmo que o preço atual não seja maravilhoso, a segurança do negócio irá viabilizar a qualidade do investimento e lucros futuros.


Em essência, quem gasta menos do que ganha está a acumular ‘cheques de reembolso’ para uso futuro.

Se gasta menos do que aquilo que ganha, acumula. Se acumula, pode investir, o que irá gerar dinheiro sobre o dinheiro que já tem. E esse é o reembolso que poderá usufruir mais tarde.


(…) Então, ao jantar, Bill Gates Sr. colocou a questão na mesa: qual era o fator que as pessoas sentiam ter sido o mais importante para terem chegado onde chegaram na vida? E eu disse: ‘Focalização’. E Bill disse a mesma coisa.

O foco e a consistência sempre foram dois dos fatores mais importantes para o sucesso. Bill Gates, que teve um sucesso incrível com a Microsoft, partilha da mesma opinião de Buffett, de que o foco é imprescindível para se obter resultados.


Regra número um – Não perder dinheiro; Regra número dois – Não esquecer a regra número um; Regra número três – Não se endividar.

Um dos seus maiores clássicos. No fundo, diz-nos que devemos estar tão seguros quanto possível das nossas convicções que determinado negócio/investimento irá gerar dinheiro. Contudo, não usar isso como desculpa para se endividar. Se investimos dinheiro que não temos, e o investimento não gera lucros acima dos juros do empréstimo, não estamos a investir; estamos a perder dinheiro.


(Sobre se lhe incomodava quando as pessoas lhe chamavam obsoleto) Nada me incomoda. Só se pode ter sucesso nos investimentos se se pensar de forma independente. E a verdade é que não se está nem certo nem errado por os outros concordarem consigo. Está-se certo porque os factos e a argumentação estão certos. No final, é isso que conta.

A respeito da não-aposta nas tecnológicas no final dos anos 90, Buffett mostrou-se sempre firme em relação às suas convicções, porque, apesar de não investir nas áreas do momento, sabia que pelo menos os seus investimentos eram fundamentados, e a longo prazo o que é fundamentado sobrepor-se-á sempre às modas do momento.


O que fizerem agora, hoje, é que vai determinar a forma de agir da vossa mente e do vosso corpo daqui a dez, 20 ou 30 anos.

Buffett disse-o a respeito de uma fábula, em que um génio lhe aparecia aos 16 anos de idade e lhe oferecia um carro à escolha, mas que teria de ser o único carro que iria ter na vida. Sobre a forma como trataria o carro, Buffett disse: “Estimá-lo-ia da melhor forma que conseguisse, porque, se não vou ter outro carro para além deste, ele terá de durar a vida toda”. No fundo, o mesmo conceito pode ser aplicado ao nosso corpo.


Eu fiz a minha pequena bola de neve muito cedo e se a tivesse feito dez anos mais tarde, estaria, nesta altura, num ponto muito diferente da subida. Por isso, recomendo aos estudantes que entrem no jogo com um pequeno avanço – e não é preciso muito, é bem melhor do que deixarem-se ficar para trás. E recorrer aos cartões de crédito é realmente deixar-se ficar para trás.

A melhor altura para investir foi há 20 anos atrás; a segunda melhor é hoje. Não existe o timing perfeito, e como o mercado tem tendência a subir ao longo do tempo, quanto mais cedo se investir, melhores serão os resultados futuros.


O sentido da vida é ser amado pelo maior número possível de pessoas de entre aquelas que nós queremos que nos amem.

Para Warren, o propósito da vida é puramente pessoal e não material ou profissional. Mesmo as pessoas que mencionam bens materiais no seu propósito de vida, acabam por mencionar a parte pessoal, do género “Ter uma casa, ter carro, e uma família feliz”. De nada interessa ser uma pessoa bem sucedida e com muitas posses, se não temos quem admire a nossa personalidade e as nossas conquistas.


Eu só trabalho com pessoas de quem gosto. Se vais trabalhar todas as manhãs com o teu estômago embrulhado, então estás no negócio errado.

Da mesma fora que na nossa vida pessoal estamos com quem gostamos, e não com quem tem mais dinheiro (ou, pelo menos, assim haveria de ser!), é provável que queiramos o mesmo no nosso trabalho. Seja para manter um cliente de quem você não gosta ou trabalhar para um chefe que é um péssimo ser humano, as pessoas tendem a imaginar que não tem escolha a não ser tolerar indivíduos que prefeririam não ter por perto.

Contudo, isso não é verdade. De facto, manter-se junto de pessoas que não gosta o impedirão de progredir. Buffett disse, também, “Você se move na direção das pessoas com as quais se associa. Portanto, é importante se associar com pessoas que são melhores que você”.

Se gostou do nosso artigo, considere subscrever a newsletter, ou veja mais abaixo alguns artilhos semelhantes que escrevemos para si.

Obrigado por estar desse lado.

Leave a Comment

Folhetos
Subscrever
Dicas
fuel-line
Combustíveis
Procurar