9 truques simples para poupar dinheiro em 2024

truques simples poupar dinheiro

Todos os euros contam. Conheça estas sugestões para chegar ao final do mês com mais dinheiro, com gestos que pode aplicar já neste ano de 2024.

Quer ganhe o salário mínimo, quer ganhe 3000€ por mês, pode sempre beneficiar de algumas otimizações na sua vida no capítulo financeiro. Muitas vezes, estas pequenas otimizações em nada vão mudar a sua rotina, ou mesmo os seus consumos, por isso acabam por ser as economias mais simples de se fazer. Eis as 9 sugestões que o Poupa Pilim tem para lhe oferecer.

“Arrumar a casa”

Por “arrumar a casa”, entenda-se fazer um ponto de situação da sua vida financeira. Façamos a divisão deste ponto em três tópicos:

a) Créditos

Antes de pensar em cortar alguma coisa, ou simplesmente mudar um determinado hábito, responda a estas duas questões:

Está a pagar carro?

Tem algum crédito pessoal em seu nome?

Se estiver em pelo menos uma destas situações, considere a amortização do crédito como a sua maior prioridade. Repare que não é mencionado o crédito habitação, porque, ao contrário de um carro, o valor de uma casa não deprecia facilmente no tempo, pelo contrário, até pode valorizar. Já a prestação do carro e os créditos pessoais são só prejuízo. Naturalmente que pode ter pedido o crédito para fazer um investimento, mas mesmo nessa situação, faça da sua amortização a grande prioridade.

Considere esta simulação de exemplo na Cetelem. Se pedir um crédito pessoal de 5000€, com prestações de 102€ durante 5 anos (60 meses), paga, no total, 6261€.

O que é que isto significa? Basicamente, que pegou em 1261€ e deitou-os no contentor do lixo. É que estes 1261€ nunca mais os irá ver, nem irá tirar proveito deles. A cada 100€ que a Cetelem lhe empresta, você devolve não só esses 100€ como ainda lhes dá mais 25€.

Se tem um novo projeto e precisa de algum financiamento, ou se se trata mesmo de uma urgência, é compreensível que o tenha de fazer, mas, nesse caso, foque-se em eliminar o crédito tão depressa quanto possível. Ainda neste caso da Cetelem, se pagar o crédito em 2 anos em vez de 5, paga 407€ de juros. Continuam a ser enormidades, mas são menos 854€ do que no crédito a 5 anos.

Este raciocínio aplica-se também ao pagamento do carro. Já sabia que, quanto mais anos a pagar, maior seria o prémio, mas talvez não tivesse noção que estas instituições financeiras cobravam estes valores elevados. Como vai saindo aos poucos a cada mês, não é fácil prestar atenção a isso.

b) Balanço atual

Faça as contas, mais uma vez, excluindo a casa: ao dinheiro que tem atualmente, se subtrair todas as suas dívidas, o seu saldo é positivo ou negativo? Se for negativo certamente será devido aos empréstimos, por isso espreite todas as outras dicas deste artigo no sentido de lhe facilitar os pagamentos; se for positivo, questione-se a si mesmo: não seria boa ideia amortizar todos os empréstimos? É que, para além de fechar desde já um tema incomodativo, deixa também de pagar juros, o que significa que acaba por pagar menos pelo empréstimo

c) Controlar os gastos

Posto isto, pondere controlar todos os seus gastos. Pode utilizar papel e caneta, o Excel, ou então uma aplicação móvel. Recomendamos a Wallet. Está disponível em versão web e também para Android e iOS. Esta aplicação permite registar todos os seus gastos por categorias, introduzir as receitas e fazer planeamentos e previsões com base nos seus últimos gastos, entre outras funcionalidades. E o melhor, é completamente gratuita.

Quanto ao registo de gastos, não precisa de o fazer para a vida toda (embora também não faça mal), basta registar todos os seus gastos durante 2 meses. Irá se surpreender com alguns valores.

Pague-se a si primeiro

Quando recebe o seu salário, o que faz primeiro? Se a resposta é “pagar contas”, sugerimos que reconsidere. O mais importante é mesmo pagar-se a si mesmo, não importa quanto. Uma regra simples é poupar sempre 10% do seu salário.

Vamos supor que ganha o salário mínimo. Pela simulação do Doutor Finanças, isto dá um total de €875 líquidos por mês (contando o subsídio de alimentação de 6€ diários por 22 dias).

Neste caso, 10% do seu salário são cerca de 87,5€. Se retirar sempre estes 87,5€, terá uma tendência a ser mais regrado ao longo do mês porque os números na sua conta são (ainda) menos simpáticos, e no final do ano conseguiu juntar 1050€.

Se não concebe nenhum cenário onde consiga poupar 10% do seu salário, comece por 5%. São 39€ por mês, imagine que teve de aderir a um seguro ao qual estará fidelizado durante 2 anos e não há nada a fazer para o cancelar. É tão bom poder poupar e ter algum dinheiro de parte, descansa-o no caso de aparecer alguma emergência.

Outra sugestão: se não leu, pondere ler o livro “O homem mais rico da Babilónia”. Existe à venda em praticamente todas as livrarias, mas pode encomendar online na Wook ou na Bertrand. O título e a capa podem parecer algo joviais, mas as ideias fundamentais que se encontram no livro são intemporais: poupar, pagar-se a si mesmo, e investir. Pode ler a minha análise feita ao mesmo noutro artigo.

Alimentação

Um estudo da Pordata, com dados recolhidos entre 1995 e 2018, concluiu que o maior gasto das famílias portuguesas é na alimentação.

Ao todo, a alimentação representa cerca de 20% do total de consumos das famílias. Se juntarmos as despesas de restauração e hotéis (12,2%), percebe-se que este tipo de despesa rapidamente poderá representar 1/4 ou até mesmo 1/3 de todo o gasto mensal.

O que podemos fazer para reduzir este custo, sem perder qualidade na alimentação?

a) Tomar o pequeno-almoço em casa

Uma meia de leite e um croissant custam, numa pastelaria, cerca de 3€. Ao fim de 22 dias úteis de trabalho num mês, são 66€.

Um ovo cozido, uma fatia de pão com manteiga de amendoim e uma peça de fruta fica-lhe por €0,70, e do ponto de vista nutricional é muito superior ao croissant com a meia de leite. São, portanto, menos €2,30, o que ao fim de um mês de trabalho representam uma poupança superior a 50€.

b) Descongele os alimentos antes de ir trabalhar

Se descongelar atempadamente carne, peixe, ou qualquer outro alimento, torna-se mais fácil resistir à tentação de encomendar comida à noite, porque teria de fazer alguma coisa aos alimentos que descongelou (e congelar novamente não seria, de todo, uma boa ideia). De manhã não sentimos a tentação de comer fora, acabamos de acordar e ainda falta imenso para o jantar, por isso estamos mais propensos a considerar um jantar feito em casa.

c) Esteja atento às oportunidades quando for fazer compras

Neste artigo abordamos várias técnicas para poupar no supermercado. Em síntese:

  • Não compre os produtos que estão em promoção à entrada do supermercado, vá antes à sua secção respetiva
  • Planeie as compras que vai fazer, faça uma lista
  • Esteja atento às promoções da semana seguinte. O Poupa Pilim tem uma página só com folhetos que muitas vezes ainda não entraram em vigor, e aparecem grandes oportunidades
  • Compare produtos promocionais com produtos não-promocionais; nem sempre o que está em promoção é melhor negócio
  • Compre em quantidade produtos não perecíveis e que estão com um preço abaixo do habitual

Talvez lhe interesse: como se tornar um verdadeiro caça-promoções no supermercado


d) Leve o almoço para o trabalho

Se pode almoçar na sua empresa, faça-o. No dia anterior, faça jantar a pensar no almoço, também. Se vai almoçar fora todos os dias e paga 6€ por refeição, gasta 132€ por mês (novamente, contando apenas os dias úteis). Uma refeição feita em casa fica por volta de 2€. Isto significa que pouparia 88€ por mês só no almoço.

Combustível

Em Portugal, o preço do combustível duplicou nos últimos 20 anos. Em 2001, o preço da gasolina sem chumbo 95 custava 87 cêntimos (174 escudos) por litro. Em 2023 já tivemos preços a ultrapassar os 1,80 euros por litro, e é provável que tal volte a acontecer assim que terminar o desconto no imposto sobre os produtos petrolíferos (ISP).

Em Portugal, o preço dos combustíveis tem aumentado acima do salário médio base, em termos percentuais. Significa isto que o peso de abastecer o carro é cada vez maior na nossa carteira, mesmo tendo em conta que os nossos rendimentos tem subido ao longo do tempo. Acaba por ser natural, pois os combustíveis são um dos maiores responsáveis pelo aumento da inflação em Portugal.

Se os gastos em combustível têm um maior peso na carteira, então temos necessariamente de redobrar os nossos esforços no sentido de reduzir os gastos ao máximo. Talvez lhe interesse um artigo que já escrevi aqui sobre este tema, mas fica o resumo do que pode fazer:

  • Substituir o carro pela bicicleta em viagens muito curtas, como de sua casa à mercearia
  • Aproveitar as descidas com alguma inclinação para retirar o pé do acelerador, mantendo o carro engatado. Deixe a gravidade pagar a viagem
  • Vá reduzindo antes de chegar a um cruzamento, pois terá de travar de qualquer das formas
  • Aproveite todos os descontos das gasolineiras; veja se o seu supermercado tem algum protocolo com alguma delas. Os descontos podem ir até 20€ por depósito.
  • Em épocas festivas os supermercados costumam fazer promoções mais agressivas nos combustíveis para atrair clientes para a loja. Não perca essa oportunidade
  • Verifique a pressão dos pneus; uma pressão incorreta ou demasiado baixa não só desgasta mais os pneus como dificulta a manobralidade do carro e aumenta o consumo de combustível
  • Bónus 1: Se tiver coisas pesadas na mala que não precisa de transportar, deixe-as em casa: mais peso = maior consumo
  • Bónus 2: Não adie a manutenção do carro. Um carro com as revisões em dia é sempre mais eficiente que um carro que precise de ir à oficina

Talvez lhe interesse: 6 truques simples para poupar combustível


Eletricidade/Gás

No que diz respeito a despesas de eletricidade, antes sequer de começar a ajustar alguns hábitos, veja se está a pagar muito ou pouco pelo consumo que tem feito.

Reomendo que comece por utilizar o Payer.

O Payer é uma plataforma que analisa faturas de comodidades, como a eletricidade, e verifica, consoante os preços praticados pela entidade fornecedora de energia, se está a pagar muito ou não de luz. Só tem de fazer o upload das suas faturas (digitalizando, ou, se tiver fatura eletrónica, enviando o ficheiro que recebeu no email) e a plataforma irá analisar a mesma e compará-la com outros operadores. Desta forma, começa desde logo por garantir que se encontra com o melhor serviço possível.

De seguida, existem outras recomendações que lhe podem ser dadas. Algumas poderão não fazer sentido para o seu caso em específico, mas veja se pode aplicar algumas delas:

  • Troque todas as lâmpadas incandescentes por lâmpadas LED. As lâmpadas LED são mais caras, mas consomem 6 vezes menos. A Endesa tem um belo artigo a falar sobre as lâmpadas incandescentes. Vai querer mudar para LED depois disso.
  • Repense sobre a necessidade de lavar determinada loiça com água quente. A loiça do pequeno-almoço, por exemplo, não costuma conter resíduos difíceis, por isso pode perfeitamente ser lavada com água fria. Dessa forma, pode poupar gás (esquentador) ou luz (termo-acumulador)
  • Alguma roupa que mete a lavar não precisa de ser lavada a 40ºC ou mais. É a temperatura de lavagem de roupa que mais influência tem no consumo final deste aparelho. Quanto mais a frio lavar, mais económico fica. A maioria das peças pode ser lavada a 30 graus e outras coisas podem ir mesmo a 20 graus. Aproveite para ler o meu artigo sobre os mitos mais comuns sobre as máquinas de lavar roupa.
  • Desligue a box. O facto da televisão estar desligada não significa que a box não esteja a consumir energia. A box é um computador, por isso deve ser desligada quando não a usa, exatamente o procedimento que utiliza com o seu computador

TV/Internet

Utiliza o serviço de TV em casa? Se sim, já utilizou o portal da Anacom para comparar serviços? Utilize o portal que segue neste link e compare serviços de TV, Internet, Móvel e telefone fixo em Portugal.

Ficam outras notas que pode ter em conta sobre este tema:

  • Quando lhe ligarem lá para casa a perguntar se está satisfeito, e se aceita renovar o seu contrato com a operadora pagando menos 5€, não aceite. Eles não lhe estão a fazer um favor, estão a fidelizá-lo por mais 24 meses. Não tenha receio de dizer que se sente insatisfeito e que pondera usufruir do facto de ser um cliente livre para assinar por outra operadora. Na maioria dos casos, conseguirá um desconto maior. Sim, ficará fidelizado, mas não ia manter o serviço de qualquer das formas?
  • De vez em quando, vá ao site da operadora e verifique os preços que estão a praticar pelo serviço que lhe estão a prestar. Muitas vezes eles aumentam a oferta de canais/Internet e mantém o preço, mas o seu contrato fica igual. Ligue e peça as mesmas condições
  • É sócio de algum clube de futebol? O FC Porto, por exemplo, tem uma parceria com a MEO que lhe reduz a mensalidade em cerca de 3€ por mês. Não conhecemos as condições do protocolo entre a NOS e o Sporting, mas o mais provável é que possuam o mesmo género de oferta

Tarifário móvel

Os preços dos tarifários entre operadoras não são todos equivalentes…mas quase. Umas operadoras oferecem mais 1GB, outras oferecem mais 500 minutos, mas no fim acaba por ser tudo muito parecido:

  • Vodafone: 3GB de net e 500 minutos de chamadas ficam por 8€ a cada 2 semanas. Ver aqui
  • NOS: 10GB de net e 1000 minutos de chamadas ficam por 18€ por mês (fidelização 24 meses). Ver aqui
  • MEO: 10GB de net e 1000 minutos ficam por 18€ por mês (fidelização 24 meses). Ver aqui

Bom, então o que pode fazer para gastar menos e usufruir dos mesmos serviços, ou até mais? Bem…tem algum familiar com menos de 25 anos que não se importe de ir consigo buscar um cartão? É que os tarifários jovens são muito mais vantajosos, em todos os níveis:

  • Moche: 10GB de net e 1000 minutos por 12,90€/mês. Ver aqui
  • Yorn: 10GB de net por 4,10€/semana. Ver aqui
  • WTF: 5GB de net por 12,50€/mês. Ver aqui

Ao optar por um tarifário jovem pode poupar até cerca de 7€ por mês, e com mais regalias. Ao fim de um ano são 84€.

Comissões bancárias

Salvo se estiver a pagar algum crédito, deixe de usar o seu banco tradicional e passe a utilizar um banco que faculte apenas soluções digitais, pois na maioria destes não paga custos de manutenção de conta.

Não como lhe apontar uma das melhores referências a nível nacional, o Pedro Andersson, que fez um artigo muito completo sobre este tema no seu blogue Contas Poupança.

De qualquer forma, podemos fazer-lhe uma conta muito rápida: no Millenium BCP, paga €5,20 por mês em custos de manutenção de conta; no ActivoBank, que também pertence ao Millenium BCP, paga zero. Ao fim de um ano, só neste custo, poupa €62,40. A isto, some os custos dos cartões de débito, pois os bancos digitais também tendem a não cobrar custos (como o ActivoBank). Considerando isto, a diferença sobre de €62,40 para €81,90 por ano.

Eletrodomésticos e tecnologia

Não compre sem comparar. Por vezes, a mesma máquina de lavar roupa pode estar 100€ mais barata literalmente umas lojas ao lado. Utilize todas as ferramentas que estão ao seu dispor para fazer o melhor negócio possível. Eis algumas delas:

  • KuantoKusta: compara preços em mais de 1100 lojas, não só em eletrodomésticos, mas também em smartphones, informática, equipamento de escritório, entre outros. Analise todas as ofertas, mas não escolha automaticamente a mais barata. Algumas lojas poderão não inspirar muita confiança, por isso entre no website da loja e veja se existem avaliações de clientes com recurso à Opiniões Verificadas (solução de recolha de opiniões de clientes). Este é, por norma, um bom indicador. Se não existir, não faz mal, vá até ao rodapé do site e verifique a morada da loja. Se calhar, até é uma loja de rua que fica perto de si, pode ir lá diretamente e decidir se quer avançar com a compra. Outra coisa que pode optar é comprar diretamente pelo KuantoKusta, o que lhe confere um nível de segurança superior. Nestes casos, costuma ter um botão “Comprar” ao lado da oferta:

CamelCamelCamel: compara preços de produtos dentro da própria Amazon. Deve selecionar o País (no seu caso, Espanha, pois é o armazém mais próximo) e ele irá dizer-lhe quais são os preços mais baixos para cada produto, assim como a tendência de subida/queda do mesmo. Com esta informação, pode decidir se deve comprar já ou se deve esperar até que o preço do produto baixe.

Google: Serve também o mesmo propósito do KuantoKusta. Neste caso, só tem de ir ao motor de busca, escrever o nome do produto e selecionar “Compras”:

Conclusão

Estes são apenas alguns dos métodos mais óbvios que pode aplicar já hoje. Como pode verificar pelas contas aqui feitas, um simples gesto pode lhe render mais de 100€ por ano na sua carteira. É como se recebesse um pequeno aumento. Se conseguir aplicar mais do que uma dica, aumenta consideravelmente as suas poupanças. Quem sabe, talvez estas ideias sirvam de catalisador não só para melhorar a sua vida financeira, mas também para se aperceber de outras coisas onde pode reduzir os gastos. Se sentir que pode acrescentar algumas dicas às nossas, por favor utilize a caixa de comentários e partilhe connosco.

Se considerou este artigo útil, partilhe com um amigo e transmita o gosto pela poupança.

Aproveite para consultar outros artigos do blogue ou os mais recentes folhetos.

(este artigo foi originalmente escrito em maio de 2021 mas é periodicamente atualizado, vá visitando para mais novidades)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Início
Folhetos
Combustíveis
Artigos
Procurar
Scroll to Top